labirintite

Labirintite: a doença pode ser amenizada através da fisioterapia

A Labirintite, como é popularmente conhecida, é uma doença que afeta o senso de equilíbrio do indivíduo. Assim, provoca tontura e comprometendo a audição.
Ela atinge 33% das pessoas. Depois dos 60 anos, os números sobem para 65%. Mas a Labirintite tem cura e a fisioterapia tem um importante papel na reabilitação.
Continue lendo para saber mais, tanto sobre a doença quanto sobre as formas de tratamento.

O que é a Labirintite?

Em nossa orelha interna, temos uma estrutura chamada labirinto. O labirinto é formado pela cóclea e pelo vestíbulo. A cóclea é responsável pela audição. Com seu formato de caracol, ela recebe vibrações causadas pelo som e as transforma em sinais, enviando-os para o cérebro. O aparelho vestibular é responsável pelo equilíbrio. Dentro do vestíbulo são encontrados líquidos, que, conforme a nossa movimentação, estimulam as células ciliadas. Essas células enviam mensagens ao cérebro, mantendo assim nosso corpo em equilíbrio.

labirintite
Imagem: Shutterstock

A Labirintite é uma infecção ou inflamação que afeta o labirinto. As mensagens que deveriam ser enviadas pela cóclea e pelo vestíbulo são alteradas. Causando assim tontura e problemas auditivos. Apesar de popularmente chamarmos qualquer problema no equilíbrio e na audição de labirintite, o correto seria labirintopatia. A labirintite é apenas uma das doenças que podem afetar a região.

Quais as causas da Labirintite?

A doença atinge principalmente pessoas a partir dos 40 e 50 anos. Mas todas as idades são propensas. Muitos fatores podem levar à labirintite, entre eles estão incluídos:

  • Doenças respiratórias, como a bronquite;
  • Infecções bacterianas;
  • Vírus da herpes;
  • Vírus estomacais;
  • Organismos infecciosos, como o que causa a doença de Lyme;
  • Uso de medicamentos que possam afetar o ouvido interno;
  • Alergias;
  • Depressão ou transtorno de ansiedade;
  • Doenças neurológicas.

Fatores de risco para a Labirintite

Cabe falarmos também de alguns fatores de risco que favorecem o surgimento da Labirintite:

  • O tabagismo;
  • Consumir álcool em excesso;
  • Ser afetado constantemente por alergias;
  • Ter hábito de tomar medicação, tanto sob prescrição médica como livremente (em especial aspirina);
  • Estar sob estresse contínuo;
  • Ter fadiga constante;
  • Hábitos alimentares ruins;
  • Ficar muito tempo de jejum;
  • Hipoglicemia, colesterol alto, hipertensão, diabetes, triglicérides ou otite.

Sintomas da Labirintite

Como vimos, a Labirintite faz você se sentir tonto e também afeta a sua audição. Além disso, você poderá sentir vertigem. A vertigem faz com que você tenha a sensação, de forma repentina. de que tudo em sua cabeça está girando.
Outros sintomas incluem:

  • Visão embaçada;
  • Sensação de desequilíbrio, como se você pudesse cair a qualquer momento
  • Náusea e vômito;;
  • Tontura;
  • Zumbido nos ouvidos e, em casos mais raros, perda auditiva.

Os sintomas podem aparecer sem aviso. Repentinamente. Se você apresenta esses sintomas procure um médico para que possa ser diagnosticado adequadamente e receber o tratamento.

Tratamento para a Labirintite

labirintite
Imagem: Shutterstock

Para agir sobre os sintomas da Labirintite se faz o uso de medicamentos. Recomenda-se também bastante repouso.
No tratamento da causa, investiga-se o que provocou a Labirintite. Depois do exame clínico, outros exames são solicitados: de sangue, radiológicos, de audição e equilíbrio. Depende do diagnóstico feito durante o exame clínico.
A terceira etapa consiste na reabilitação. Primeiro com o tratamento fonoaudiológico e, posteriormente, a fisioterapia.

Papel da fisioterapia no tratamento da Labirintite

A fisioterapia ajuda para que o processo de recuperação seja mais rápido.
O seu fisioterapeuta monta um programa especial de equilíbrio e exercícios unicamente para você. Os exercícios vão ajudar a ajustar as mudanças que ocorreram no seu ouvido interno. É normal sentir tontura no processo. Mas eles se mostram bastante efetivos.
No começo, idas ao fisioterapeuta são comuns. Afinal, é preciso determinar quais exercícios são apropriados para você, como você lida com eles e como eles devem ser ajustados com o tempo. Depois, você pode optar por realizá-los em casa. De 3 à 5 vezes por dia. Assim, seus sintomas vão melhorar até desaparecer. Mas não se preocupe. Quando começar a fazer os exercícios é normal que seus sintomas se intensifiquem.
O tempo de tratamento varia para cada pessoa. Há muitos fatores envolvidos: a idade, a gravidade dos danos, há tempo você apresenta os sintomas, entre outros.
Durante esse período, os sintomas podem interferir nas suas atividades diárias. Por isso, não se force e volte de forma gradual, enquanto se recupera, à sua vida normal.
A Labirintite raramente se torna uma doença crônica. O tratamento soluciona a grande maioria dos casos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *